22 OUT
Convento de São Pedro de Alcântara | 16h30
Ensemble ConTrastes
Ecos de Solidão
15h00 | Visita Guiada ao Convento de São Pedro de Alcântara
16h00 | Atelier Infantojuvenil Convento de São Pedro de Alcântara




Ecos de Solidão. Música de câmara do barroco alemão (Telemann, C.P.E. Bach, entre outros)

Durante o séc. XVIII, a música composta no espaço geográfico que atualmente corresponde à Alemanha marcou de forma indelével a História da Música Ocidental. Compositores como J. S. Bach, C. P. E. Bach ou G. P. Telemann, são ainda hoje reconhecidos e admirados, mas também as obras de muitos outros, alguns dos quais caídos no esquecimento, são de uma enorme riqueza e variedade. É o caso de Johannes Schenck (1660 - após 1712) músico e compositor na corte do príncipe-eleitor Johann Wilhelm, em Düsseldorf, de Theodor Schwartzkopf (1659 - 1732) que trabalhou em Vitemberga, ou de Christoph Schaffrath (1709 - 1763) ativo em Dresda e sobretudo Berlim.

Além das influências inevitáveis dos estilos barrocos francês e italiano nos compositores alemães da Saxónia e Brandeburgo, as suas linguagens musicais são altamente individualizadas e variadas. Por um lado, Schwartzkopf é ainda herdeiro das tradições seiscentistas, e acusa uma forte influência francesa; Schaffrath, por outro, aponta já os caminhos pioneiros do estilo galante, e manifesta influências de C. P. E. Bach.

Muito próprio do barroco alemão é a escolha de combinações instrumentais pouco usuais, explorando recursos expressivos e técnicos de instrumentos na altura pouco usados em contextos solísticos ou de música de câmara. A predominância, neste programa, da viola da gamba e do fagote confere ao mesmo um carácter e sonoridade muito particulares. Combinando de forma única obras de grandes mestres com a de autores desconhecidos, Ecos de Solidão proporciona uma viagem de descoberta única do repertório camerístico numa das 'idades de ouro' da música alemã.



Sofia Diniz | Viola da Gamba
José Rodrigues Gomes | Flauta de bisel e Fagote
Fernando Miguel Jalôto | Cravo