Lisboa, Cidade de Todas as Idades

O programa "Lisboa, Cidade de Todas as Idades", consiste numa estratégia para a cidade e tem como missão dar uma resposta integrada à população 65+, na senda da longevidade, promovendo ações de cidadania participativa com vista a maiores índices de autonomia e independência. Resulta de um acordo de colaboração estreito com importantes parceiros CML e ISS,  com um enfoque em torno de dois objetivos:

  • Implementar respostas integradas, articuladas e de proximidade;
  • Promover a qualificação da intervenção.

A concretização destes objetivos implicará a realização de um conjunto de medidas organizadas em 3 eixos estratégicos:

  • Vida Ativa;
  • Vida Autónoma;
  • Vida Apoiada.

Este ambicioso programa de ação, reflete o primor dos princípios subjacentes:

  • Conhecimento Estratégico;
  • Respeito pela autonomia e ação;
  • Inovação;
  • Adequabilidade e celeridade;
  • Acessibilidade e acesso;
  • Eficácia, eficiência e efetividade.

Pretende-se nestes eixos a criação de condições de promoção da vida ativa para este grupo populacional ao nível cultural, desportivo, formativo e de intervenção cívica. Na vida autónoma melhoria das condições físicas do espaço publico e edificado, assim como requalificar, inovar e diversificar a rede de equipamentos e serviços que promovam a autonomia, a independência e retardem a institucionalização. Na vida apoiada a melhoria e ampliação da rede de equipamentos sociais e saúde, assim como de prestação de cuidados para as situações de dependência.

O programa pretende diminuir o isolamento social da população de idade avançada que vive em Lisboa e que constituem um quarto da população da cidade, com o maior e mais ambicioso programa de investimento na rede de cuidados, apoio domiciliário ou a requalificação do espaço público, tornando-o mais amigo da população 65+. 

Entre as medidas do programa, destaque para a Teleassistência, requalificação de 21 Centros de Dia em espaços intergeracionais ( Espaço InterAge) e abertos à comunidade, alargamento da cobertura do Serviço de Apoio Domiciliário, um Serviço de Apoio ao Cuidador Informal para abranger seis mil cuidadores até 2021, aumentar e melhorar a prestação de cuidados de saúde básicos, coordenados com o apoio social, à população necessitada de Cuidados Continuados mas com autonomia para habitar em casa própria, estando prevista a criação de 8 equipamentos com Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas e Cuidados Continuados, que tem por objetivo a criação de mil vagas.