Bolsas de educação para atletas olímpicos e paralímpicos
Destaques
Agora, ser atleta e estudante é mais fácil
Trinta e três atletas olímpicos e paralímpicos receberam esta segunda-feira, 17 de abril, uma bolsa de estudos, patrocinada pelos Jogos Santa Casa.

Ser estudante universitário e atleta de alta competição, em simultâneo, é uma jornada que se apresenta, desde 2013, mais fácil de fazer.

A razão está nas bolsas de educação dos Jogos Santa Casa (JSC), destinadas a atletas de alto rendimento, que conciliam a prática desportiva com a frequência de um curso universitário. Vinte e sete olímpicos e seis paralímpicos beneficiam deste prémio em 2017.

A cerimónia de entrega das bolsas realizou-se esta segunda-feira, 17 de abril, no Átrio dos Passos Perdidos da Reitoria da Universidade de Lisboa, e contou com as presenças da secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Pedro Santana Lopes, do presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino, e do presidente do Comité Paralímpico de Portugal (CPP), José Manuel Lourenço.

 "A Santa Casa existe pelas boas causas. E se há boa causa e digna para apoiar. Esta é sem dúvida uma delas", disse o provedor da Misericórdia de Lisboa.

"Este é um daqueles apoios que, desde 2013, não se discute. Trata-se de dar força a quem representa Portugal", defendeu, Pedro Santana Lopes. Desejando boa sorte e concentração para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, o provedor lembrou que "o mais importante é que não se falhe na entrega, o resto é desporto".

Patrícia Mamona (triplo salto), Rui Bragança (taekwondo), Teresa Portela (canoagem), Diogo Abreu (trampolins), Luís Gonçalves (atletismo paralímpico) e David Grachat (natação paralímpica) são alguns dos nomes dos bolseiros contemplados.

"Com estas bolsas de educação, é mais fácil focarem-se nas vossas carreiras e menos uma preocupação", disse a secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência.

"Acreditamos que é através da formação que se vencem muitas barreiras", salientou José Manuel Lourenço, presidente do CPP. "Os JSC são uma preciosa ajuda e exemplo, não só pelo estímulo, mas também pela igualdade que proporcionam com a atribuição destas Bolsas. De facto, aqui faz-se jus à palavra igualdade", concluiu.

Por seu turno, José Manuel Constantino, presidente do COP, destacou o "significado especial" desta cerimónia, por sinalizar a importância da conciliação dos estudos e da prática desportiva.

O Comité Olímpico de Portugal, o Comité Paralímpico de Portugal e os Jogos Santa Casa identificam, acompanham e apoiam as necessidades sociais de Educação no universo de cidadãos, que já representaram Portugal nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos e que ambicionam ainda concretizar esse sonho.
 
Surgiu, assim, a possibilidade de atribuição de bolsas de estudo a um conjunto de jovens atletas que pretendam prosseguir a vida académica na universidade.
 
O sucesso destes três anos levou os JSC, o COP e o CPP a prolongar este incentivo para o próximo ciclo, contribuindo para a qualidade de vida de cada atleta/estudante.
 
As bolsas de 3.000 euros atribuídas em 2017, contemplam 27 atletas olímpicos e seis paralímpicos. Até à data,  já foram dadas 87 bolsas no valor total de € 252.000,00.





Fotografia: Pedro Teodósio, Comité Olímpico de Portugal

17 de abril de 2017


Comunicação Social
Facebook