Tomada de Posse 2017
Destaques
Continuidade e Renovação
Edmundo Martinho tomou posse como provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. O novo provedor vai cumprir um mandato de três anos.

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, empossou, esta quarta-feira, 6 de dezembro, na sala de Extrações, Edmundo Martinho como provedor e João Pedro Correia como vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML).

Na cerimónia de tomada de posse, Vieira da Silva elogiou as qualidades do novo provedor. O ministro afirmou, ainda, que Edmundo Martinho "tem todas as condições para deixar marca nesta instituição" devido ao trabalho já realizado na área da ação social. 

Recorde-se que a Mesa da Santa Casa é constituída, ainda, por Maria Helena Lopes da Costa, Sérgio Cintra, Ricardo Alves Gomes e Filipa Klut (vogais).

Numa sala completamente cheia, o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, a secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, Dom Duarte, representantes do Município, de Juntas de Freguesia, da Segurança Social assistiram a esta cerimónia. Rui Cunha, ex-provedor, esteve também presente para felicitar a nova Administração.

Na sua intervenção, Edmundo Martinho, começou por dizer que "era uma honra muito grande estar aqui, hoje, a assumir estas funções". 

"Dar continuidade a projetos estruturantes que já estão em curso, que vêm do mandato anterior, e renovar naquilo que, do meu ponto de vista, deve ser renovado, designadamente ao nível das estruturas da Santa Casa e introduzir alguma inovação, refrescando o modo como esta Casa funciona", são alguns dos objetivos apontados pelo provedor.

"Gostava fundamentalmente de poder dar o meu contributo para que a Santa Casa seja cada vez mais uma instituição sólida e qualificada nas respostas que apresenta e disponibiliza aos cidadãos que mais precisam".

Para Edmundo Martinho, "o grande desafio é preservar e desenvolver o património da Santa Casa. E aqui, o património é entendido como a nossa história e a qualidade da nossa intervenção nos diferentes domínios", explicando que "é indispensável que a SCML aprofunde a sua presença nas suas grandes áreas nucleares que são a saúde, a ação social e a cultura" e cumprir este objetivo significa "desenvolver o património que tem de credibilidade nos serviços que presta".

O anterior provedor da Santa Casa, Pedro Santana Lopes, não pôde estar presente na cerimónia devido a problemas de saúde, conforme disse Edmundo Martinho, mas enviou uma mensagem de felicitações ao novo provedor.

Por seu turno, o ministro da tutela defendeu que a Santa Casa deve continuar o caminho que tem vindo a ser seguido nos últimos anos. Vieira da Silva espera que "a instituição possa continuar a desenvolver as três grandes dimensões que vêm da sua história e que estão no seu presente: a gestão dos Jogos Sociais e a sua consolidação; o alrgamento da sua intervenção nas diferentes áreas; e a afirmação da instituição no apoio ao sector da economia social".



6 de dezembro de 2017

Clipping
Facebook