José Eduardo Franco
Destaques
“Nós não somos grandes sozinhos”
Estas foram as palavras de José Eduardo Franco, um dos coordenadores da Obra Completa do Padre António Vieira, no discurso de agradecimento pela Medalha de Mérito Cultural, que lhe foi atribuída pelo Governo português.

O historiador José Eduardo Franco foi homenageado esta sexta-feira, 18 de setembro, com a entrega da Medalha de Mérito Cultural pelo seu curriculum em prol da História e da Cultura portuguesas, que inclui a coordenação da coleção “Vieira Total”, uma obra de 30 volumes sobre o Padre António Vieira, patrocinada pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML). A distinção foi entregue pelo secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, numa cerimónia que teve lugar no Claustro da SCML e que contou com a presença do Provedor, Pedro Santana Lopes.

“Um grande feito da história editorial portuguesa” foi a forma como o Provedor classificou esta obra, porque, afinal, “Nós somos o que fazemos. O que não se faz, não existe. Só existimos nos dias em que fazemos. Naqueles em que não fazemos, apenas duramos”. Pedro Santana Lopes, que José Eduardo Franco definiu como “um homem de visão”, “percebeu e acreditou no projeto” deste o início e foi graças ao apoio da instituição a que preside que esta obra foi publicada, no tempo record de dois anos, salientou o investigador premiado.

Durante este período, José Eduardo Franco e Pedro Calafate coordenaram uma equipa de investigação de cerca de uma centena de pessoas, entre os quais especialistas, investigadores, coordenadores, tradutores e revisores, a quem competiu a pesquisa, recolha e tratamento da informação acerca da obra vieirina, encontrada em arquivos, públicos e privados, não só em Portugal, mas também em França, Espanha, Itália, Inglaterra, Suécia, Holanda, México e Brasil.

No seu discurso emocionado, José Eduardo Franco não deixou de agradecer o apoio que recebeu da família, destacando a mulher, os filhos e a mãe, tendo simbolicamente entregue à mãe, “calejada e velhinha”, o prémio recebido, graças à qual esta obra se tornou realidade. “Em momentos particularmente difíceis, a minha mãe deu a vida para que os filhos estudassem, porque acreditava que, pela Cultura e pela Ciência, podiam libertar-se”, referiu.

Esta cerimónia, que encheu por completo o claustro do Museu de São Roque, batizado com o nome do missionário jesuíta, encerrou com a declamação de excertos dos Sermões do Padre António Vieira, por João Grosso, ator da peça “Paiaçú ou Pai Grande”, versão teatral que espelha a preocupação de Vieira pela defesa dos índios, dos escravos e da salvação humana. 

Sobre o homenageado

José Eduardo Franco tem desenvolvido, ao longo da sua carreira, um importante trabalho de estudo, investigação e divulgação da história e cultura portuguesas, de que é exemplo esta edição de 30 volumes, uma obra de grande relevância para o conhecimento e estudo da história de Portugal.

Doutorado em Cultura, pela Universidade de Aveiro, e em História e Civilizações, na Escola dos Altos Estudos em Ciências Sociais, de Paris, José Eduardo Franco é responsável por um vasto trabalho como autor, coordenador e co-coordenador de vários projetos de investigação, no âmbito das Ciências Sociais e Humanas, de que são exemplos o "Dicionário Histórico das Ordens", a "Obra Completa do Padre Manuel Antunes" e o projeto "Arquivo Secreto do Vaticano".

Da sua vastíssima bibliografia, destacam-se os estudos aprofundados sobre Vieira, os Jesuítas e o Marquês de Pombal. 


18 de setembro de 2015


Facebook