Protocolo FCUL
Destaques
Quando a tecnologia muda uma vida
A Misericórdia de Lisboa e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa dão o exemplo, unindo esforços, ao promover uma maior autonomia para pessoas com lesões vertebromedulares.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) assinaram esta quinta-feira, 12 de outubro, um protocolo de cooperação, na sala de Sessões.
 
Pedro Santana Lopes, provedor da SCML, e José Artur Martinho Simões, diretor da FCUL, assinaram o protocolo que visa o desenvolvimento de soluções tecnológicas para uma maior autonomia de estudantes tetraplégicos que se encontram em residências da Santa Casa e assegurar cooperação nas áreas das tecnologias de informação aplicadas aos domínios da acessibilidade, saúde e bem-estar.

A cerimónia contou com a presença de todos os administradores da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Pedro Santana Lopes salientou a “importância” deste protocolo. “Faz-nos pensar e coloca-nos uma enorme responsabilidade sobre os ombros”.

“É uma alegria enorme ver as perspetivas fantásticas que se abrem com este trabalho”, disse o provedor da Santa Casa, com esperança de que este projeto possa mudar o paradigma das acessibilidades e da qualidade de vida das pessoas com lesões vertebromedulares.

“Acho que este projeto é fantástico. É dos papéis que mais me orgulho de ter assinado neste exercício de funções”, não escondendo o desejo de ver a residência D. Carlos I inaugurada.

José Martinho Simões salienta que o protocolo assinado é um “bom casamento”, por uma razão muito simples, a missão da FUCL é encontrar novos conhecimentos e devolver parte desse conhecimento à sociedade, é isto que acontece neste protocolo, elogiando a disponibilidade da SCML.

O protocolo visa estabelecer a cooperação no desenvolvimento de soluções tecnológicas que permitam melhorar a qualidade de vida das pessoas que apresentem lesões vertomedulares e que se encontrem em residências da SCML, no âmbito dos projetos MOTHER - Mobilidade e Transição em Habitações Especiais e Reativas e HIPE - Habitações Interativas para Pessoas Excecionais.

O projeto irá dotar uma residência da Santa Casa de condições tecnológicas para uma maior autonomia dos estudantes tetraplégicos residentes. A iniciativa pretende mudar a vida destes alunos. 

O prédio da SCML situa-se na praça Duque de Saldanha. Está previsto que as obras arranquem em 2018. A FCUL desenvolverá as tecnologias necessárias para os utentes iniciarem uma vida mais autónoma.

A solução a ser desenvolvida permitirá aos seus utilizadores a gestão e automação de dispositivos eletrónicos e de domótica, assim como a utilização de sistemas de comunicação, possibilitando-lhes alguma autonomia e mantendo-os ligados às redes sociais (reais e virtuais). 

Os principais estilos de interação são o uso de comandos de voz por smartphone e tablet e através de dispositivos que possam vir a existir na casa. Soluções criadas para ajudar os utilizadores no seu dia-a-dia (entrada e saída de casa, da cadeira, da cama, da casa de banho, para se vestir, alimentar, entre outras).

A solução final será instalada na residência para pessoas tetraplégicas da SCML, na praça Duque de Saldanha.

12 de outubro de 2017

Facebook