SCML
espaço
Beneficiários
Os jogos sociais do Estado (Jogos Santa Casa), cuja exploração está atribuída exclusivamente à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), são assim designados em virtude das respetivas receitas se destinarem integralmente a causas sociais - as chamadas Boas Causas. Estes constituem uma das principais fontes de financiamento das políticas sociais do Estado, em domínios tão variados como a saúde, a solidariedade social, o desporto e a cultura.
 
O Departamento de Jogos da SCML é a entidade que garante a gestão dos jogos sociais em nome, e por conta do Estado, sendo as receitas do jogo devolvidas integralmente à sociedade, quer sob a forma de prémios, quer para o financiamento de políticas sociais e receitas fiscais. 

Decreto-Lei nº56/2006 de 15 de março, posteriormente alterado pelo Decreto-Lei nº44/2011 de 24 de março, pelo Decreto-Lei nº106/2011 de 21 de outubro e pelo Decreto-Lei nº67/2015 de 29 de abril, veio alterar o esquema de repartição da receita dos jogos sociais, de forma a maximizar as verbas através de uma repartição dos resultados dos jogos, mais equilibrada e estável, tendo em conta o produto líquido da exploração de todos os jogos. 

Esta distribuição abrange atividades tão distintas como a prestação de cuidados continuados integrados, a prevenção e tratamento de dependências, iniciativas no domínio da sinistralidade rodoviária e da prevenção dos riscos sociais que podem levar a criminalidade. Para além de outras áreas de atuação já mais reconhecidas como o combate à pobreza e exclusão social, o apoio a vários tipos de vítimas, a proteção civil ou o desporto escolar.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa é também um dos beneficiários das receitas dos jogos sociais do Estado. Para a sua reconhecida obra social revertem ainda os valores dos prémios caducados do Euromilhões, da Lotaria Nacional, do Placard e do M1LHÃO.