Notícias


13 projetos para mudar

Os 13 projetos selecionados no âmbito do Programa de Apoio às Empresas Sociais (PAES) da SCML foram apresentados esta sexta-feira em Coimbra

Vieram de vários pontos do país apresentar os seus projetos em áreas tão diferentes como a ação social, saúde, cultura, património e turismo. Foram os 13 projetos selecionados no âmbito do Programa de Apoio às Empresas Sociais (PAES) da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), em parceria com a Santa Casa da Misericórdia do Porto, tornados públicos esta sexta-feira, 27 de fevereiro, em Coimbra.

Estes projetos foram escolhidos entre os 349 que se candidataram ao Programa, dirigido aos empreendedores que oferecem uma resposta inovadora, sustentável e geradora de valor social e económico, para problemas ou necessidades sociais. Um Programa criado no âmbito do Banco de Inovação Social, uma plataforma de trabalho informal, criada pela SCML, que reúne 26 parceiros em torno deste tema.

Para cada um destes projetos será disponibilizada uma linha de crédito até aos 10 mil euros, segundo Paulo Mateus Calado, administrador da Santa Casa com o pelouro do empreendedorismo e economia social. O PAES integra empreendedores de todos o país e "tem como objetivo o retorno social".

O evento, a que assistiram mais de duas centenas de pessoas, entre as quais a administradora da ação social Rita Valadas, além de investidores, foi apresentado pela jornalista Laurinda Alves e, na sua opinião, os 13 projetos selecionados desenvolvem-se segundo "ideias que nos levam a acreditar e a gerar confiança" e que "multiplicam a capacidade de fazer acontecer". Mas o mais importante, sublinha, é que "contribuem para mudar a realidade e para resolver problemas".

A apresentação dos projetos selecionados verifica-se na sequência da adesão da SCML à rede de comunidades que se dedicam ao empreendedorismo com um investimento de 350 mil euros.

No encontro participou também o Provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto, António Tavares, que elogiou a capacidade da sociedade civil em tentar dar respostas aos problemas sociais e manifestou o desejo de que "estes exemplos tenham um efeito multiplicador". "É preciso continuar a sonhar, continuar a não desistir" afirmou, referindo a necessidade de "ajudar a criar novas ferramentas, os tais arados para cultivar os terrenos".

O administrador Paulo Mateus Calado encerrou o encontro referindo "a componente de inovação social relevante" dos projetos selecionados. "Investimos em Boas Causas" sublinhou manifestando a disponibilidade da SCML "continuar a acompanhar os empreendedores".

O evento terminou com a atuação da Tuna da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.


27 de fevereiro de 2015