Notícias


521 anos por quem mais precisa

02 Julho 2019

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa assinala esta terça-feira, 2 de julho, 521 anos de história, de uma obra construída em prol das Boas Causas. Foi em 1498 que a Rainha Dona Leonor criou a Irmandade de Invocação a Nossa Senhora da Misericórdia, mais tarde batizada pelo povo como Santa Casa.

Esta é uma data que impõe respeito pela longevidade, mas também pelo que a instituição simboliza na capital e no país. Apesar do dia exato da fundação da Misericórdia de Lisboa ser 15 de agosto de 1498, o aniversário da instituição é celebrado a 2 de julho porque era essa a data em que o antigo calendário litúrgico da Igreja Católica Apostólica Romana celebrava a Visitação de Maria, considerada por muitos um paradigma de misericórdia.

No século XVII a Santa Casa começou a cumprir uma das suas missões mais nobres e simbólicas, receber e criar as crianças expostas, deixadas a cargo da instituição. Ao longo da sua história esta e outras missões tornaram a Misericórdia de Lisboa numa instituição de referência, constituindo um exemplo replicado em todo o país, e também pelo mundo fora.

Para cumprir o seu desígnio, muito contribuiu a exploração dos jogos sociais, com o decreto de 1783 da Rainha D. Maria I, que atribuiu à Santa Casa a instituição de uma Lotaria à qual se juntou, mais tarde, uma série de outros jogos.

Ainda que simbólico, o dia de hoje representa mais de cinco séculos de trabalho por quem mais precisa, em áreas tão distintas como a Ação Social, a Saúde, a Cultura, a Educação, o Património, a Inovação e Investigação, entre outras. A Misericórdia de Lisboa prossegue hoje a sua ação de proteção aos mais desfavorecidos, num contexto de modernidade e de inovação respondendo aos desafios do século XXI.

Destaque para a apresentação do concurso escolar "Todos Somos diferentes", na Sala da Sorte do Departamento de Jogos da Santa Casa, na passada segunda-feira.

Esta terça-feira, 2 de julho, as comemorações terão início pelas 11 horas, na Igreja de São Roque, com uma celebração eucarística dedicada aos 521 anos da Santa Casa. Já ao início da tarde, pelas 14h30, no Convento de São Pedro de Alcântara, decorrerá a cerimónia de reconhecimento do trabalho e esforço dos que trabalham há 25 anos na instituição ou que se reformaram recentemente. Ao final do dia, pelas 17h00, a Mesa Administrativa da Santa Casa, colaboradores e utentes vão apagar as velas na sede da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, no Largo Trindade Coelho.

O dia 3 de julho será outro dia em cheio, com um concerto da Orquestra Metropolitana de Lisboa que atuará, pelas 19 horas, no Palácio do Alegrete.

Os últimos dois dias do programa de festividades dos 521 anos da Santa Casa ficam marcados pela entrega dos Prémios Nunes Correa Verdades de Faria, a 4 de julho, às 18 horas, e pelo lançamento do mais recente volume da "Coleção Património" que terá lugar no Palácio Marquês de Tomar, no dia 5 de julho, também às 18h00, e que terá a honra de fechar as comemorações deste ano.