Notícias


"O meu tempo é hoje"

03 Outubro 2018
Seis personalidades foram distinguidas pelo "Prémio Envelhecimento Ativo Dr.ª Maria Raquel Ribeiro". Apoiado pela Misericórdia de Lisboa, este galardão reconhece a vida ativa e a participação social de pessoas com idade igual ou superior a 80 anos.

A cerimónia de entrega da 7ª edição do "Prémio Envelhecimento Ativo Dr.ª Maria Raquel Ribeiro decorreu esta terça-feira, 2 de outubro, no auditório do edifício da sede da Associação Mutualista Montepio Geral, em Lisboa. 

Este prémio é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Psicogerontologia, em colaboração com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) e a Fundação Montepio. É uma distinção anual que tem por objetivo reconhecer a vida e atividade de pessoas com 80 e mais anos, que continuam a desenvolver atividade profissional ou cívica relevante, em cada uma das categorias definidas.

Este ano, os distinguidos foram cinco homens e uma mulher. Reúnem experiências e saberes diferentes, mas com um denominador comum: desde sempre foram ativos, e lutaram, sempre, pelas suas convicções. 

A sétima edição do "Prémio Envelhecimento Ativo Dr.ª Maria Raquel Ribeiro" distinguiu Vítor José Melícias Lopes (Intervenção Social); João Pires Cutileiro (Arte e Espetáculo); Helena Rebelo Pinto (Ciência e Investigação); Alberto José dos Santos Ramalheira (Política e Cidadania); Carlos Soares Ribeiro (Ética e Saúde) e José Manuel Fortuna de Carvalho Antelo (Família e Comunidade).

Emocionaram-se bastante e agradecerem o reconhecimento prestado. Sentem-se mais jovens do que são, e não querem parar, embora o corpo já não obedeça e acompanhe a vontade da mente. Continuam a sonhar em fazer mais. Sentem que têm o dever de continuar a partilhar o seu conhecimento e experiência. Os 80 e muitos anos não os demovem. Têm uma motivação e vontade à prova do peso dos anos. "O meu tempo é hoje", afirmou Vítor José Melícias Lopes. Sentimento partilhado, entre os distinguidos.

Na sua intervenção, Sérgio Cintra defendeu que "a valorização de uma sociedade para todas as idades, promotora da intergeracionalidade, da autonomia, do envelhecimento ativo e saudável é uma preocupação central da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa".

O programa "Lisboa, cidade de todas as idades" é um exemplo de como a SCML quer contribuir para uma sociedade mais inclusiva e coesa. "É com enorme orgulho que a Santa Casa se associa a esta iniciativa desde o seu início, em 2012. Reconhecer e distinguir o percurso de vida dos nossos mestres e mentores e que, ainda hoje, mantêm uma atividade profissional e cívica relevante é orgulho para todos nós", concluiu Sérgio Cintra.

A 7ª edição do "Prémio Envelhecimento Ativo contou com as presenças de Sérgio Cintra, administrador da Ação Social da Santa Casa, Tomás Correia, presidente da Fundação Montepio, Maria João Quintela, presidente da Associação Portuguesa de Psicogereontologia (APP), Vítor Feytor Pinto, presidente da Assembleia Geral da APP, e Maria Raquel Ribeiro, presidente do júri desta distinção.

O galardão simboliza a luta pela dignificação do envelhecimento ativo, da longevidade. Apoiado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e pela Fundação Montepio e instituído pela APP, este prémio distingue a vida ativa e a participação social de pessoas com idade igual ou superior a 80 anos, que desenvolvam atividade profissional ou cívica relevante.