Notícias


Jogos Santa Casa apoiam mais 54 atletas olímpicos e paralímpicos

19 Novembro 2019
Pelo sétimo ano consecutivo, os Jogos Santa Casa voltam a atribuir as Bolsas de Educação que permitem a atletas olímpicos, paralímpicos e surdolímpicos conciliar mais facilmente a atividade académica com a carreira desportiva. 

Este ano, foram atribuídas mais 54 bolsas a atletas-estudantes numa cerimónia que se realizou esta terça-feira, 19 de novembro, no Museu do Oriente, em Lisboa, e que contou com as presenças do secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo; do vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), João Pedro Correia; do presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino; e do presidente do Comité Paralímpico de Portugal (CPP), José Manuel Lourenço. 

As Bolsas de Educação Jogos Santa Casa são um programa pioneiro em Portugal de apoio às carreiras duais, que incentivam os atletas nacionais a conciliarem a carreira académica com a desportiva, de modo a evitar quer o abandono prematuro do desporto de alto rendimento, quer dos estudos. 

A edição de 2019, que volta a ter como assinatura "Vamos passar a chama aos campeões do Futuro", atribuiu 54 Bolsas (44 a atletas olímpicos e 10 a atletas paralímpicos e surdolímpicos), num valor total de cerca de 130 mil euros. 

A grande novidade deste ano está relacionada com o facto dos Jogos Santa Casa, juntamente com o COP e o CPP, terem decidido alargar o âmbito da atribuição destas Bolsas de Estudo.

Tendo em conta a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, e a preparação (ainda) mais exigente dos atletas para esta prova, foram assim criados dois tipos de bolsas: uma bolsa no valor de 3.000 euros, para quem mantém os estudos a tempo inteiro, e outra no valor de 1.500 euros, para quem opta pelo regime de estudo parcial. 

Na cerimónia de entrega das bolsas, João Pedro Correia iniciou a sua intervenção com uma mensagem do provedor, Edmundo Martinho. Nesta, o provedor sublinhou que "o desporto é um desígnio da nossa instituição, sendo que os Jogos da Santa Casa são um dos maiores contribuintes no apoio à atividade desportiva no nosso país".

Reconhecendo a importância das Bolsas de Educação para os atletas conciliarem a carreira académica com a desportiva, o vice-provedor da instituição desejou ainda boa sorte aos atletas na busca dos seus objetivos.

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto elogiou o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, conjuntamente com os comités, às chamadas carreiras duais, facilitando a conciliação do desporto de alto rendimento com os estudos.

São muitas as histórias que refletem o impacto que estas bolsas têm na vida de quem as recebe. 

Ana Catarina Monteiro, por exemplo, atleta olímpica de natação e aluna de mestrado em Bioengenharia, explica que "a bolsa dos Jogos Santa Casa é um apoio que facilita a conciliação dos estudos, com a prática desportiva. Este ano, em particular depois de uma situação de prescrição na universidade, e com o apuramento para os Jogos Olímpicos, a inscrição na faculdade foi feita num regime diferente do habitual e a manutenção da Bolsa foi, sem dúvida, um importante voto de confiança, que me dá uma força extra!".

Já Filipe Marques, atleta paralímpico de triatlo e aluno a tempo inteiro do 1º ano de Ciências em Desporto, diz que estas bolsas "são um grande apoio, que me motiva a ter bons resultados, tanto a nível académico, como a nível desportivo. Este é o segundo ano em que sou apoiado pelos Jogos Santa Casa e continua a ser uma grande ajuda para conseguir tirar um curso, que vai ser importante quando acabar a minha carreira desportiva".

Desde a 1ª edição deste programa, em 2013, já foram atribuídas 271 bolsas a atletas de várias modalidades, desde rugby, andebol, taekwondo, judo, atletismo, natação, triatlo, entre outras, num valor superior a 770 mil euros.