Notícias


Prémio Envelhecimento Ativo distingue maiores de 80 anos


Foi diretora-geral da assistência social e, mais tarde, da Família. Foi dirigente sindical e assessora do ministro dos Assuntos Sociais, entre muitas outras funções que desempenhou ao longo dos seus 87 anos de vida. Hoje, Dia Internacional das Pessoas Idosas, deu o seu nome, Maria Raquel Ribeiro, ao Prémio Envelhecimento Ativo que foi lançado em Lisboa.

A sala do Convento de Santos-o-Novo, onde este prémio foi apresentado foi pequena para acolher todos os que quiseram assistir à cerimónia do lançamento.

Promovido pela Associação Portuguesa de Psicogerontologia, com o apoio da  Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) e da Fundação Montepio, o Prémio Envelhecimento Ativo Dr.ª Maria Raquel Ribeiro visa reconhecer a vida ativa e a participação social de pessoas com 80 ou mais anos de idade, que desenvolvam atividade profissional ou cívica relevante na sociedade.

O nome de Maria Raquel Ribeiro foi escolhido pelo exemplo do inestimável contributo que tem prestado na área da Segurança Social e pela sua dedicação às questões relacionadas com o envelhecimento.

A administradora da Misericórdia de Lisboa para a ação social, Rita Valadas, abriu a cerimónia, destacando a necessidade do reconhecimento do papel do envelhecimento na sociedade atual.

O vice-presidente da Associação de Psicogerontologia, Victor Feytor Pinto, referiu em seguida, a solidariedade como a "marca" da vida de Maria Raquel Ribeiro e salientou a importância da "sensibilidade ética" e da "espiritualidade" como caraterísticas da sua personalidade.

Maria Raquel Ribeiro "faz parte das pessoas que fazem com que as coisas aconteçam", frisou, por seu turno, Joaquina Madeira, referindo que este prémio "assenta-lhe que nem uma luva".

Para o Diretor-Geral de Saúde, Francisco George, "é uma justíssima homenagem" à mulher que encerrou a sessão do lançamento do prémio expressando numa voz clara o seu empenho em "comunicar a esperança de saúde e de vida para todos" e defendendo a necessidade de uma "humanidade rejuvenescida".

Um Prémio não pecuniário com cinco categorias

O Prémio Dr.ª Maria Raquel Ribeiro não é pecuniário e consistirá na oferta de um troféu simbólico. Terá cinco categorias: intervenção social; artes e espetáculos; política e cidadania, ciência e investigação e família e comunidade. Só nesta última categoria poderão ser apresentadas candidaturas, através de instituições parceiras, de pessoas com idade superior a 80 anos que se distingam pela sua atividade na sociedade. Nas outras categorias, os nomes serão nomeados pelas instituições.


A iniciativa deste Prémio surge no âmbito da comemoração do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre as Gerações e associa-se à mensagem "Longevidade, influenciando o Futuro", divulgada pela Organização das Nações Unidas para este dia.

No seguimento da sua missão, a SCML desenvolve um trabalho relevante no apoio social de mais de 8500 idosos. Nas diferentes respostas que oferece, assume como objetivo contribuir para a inclusão social das pessoas idosas para que estas se mantenham saudáveis, ativas e autónomas, durante  o maior tempo possível.

1 de Outubro 2012