Notícias


Santa Casa apresenta Relatório de Sustentabilidade

Diminuir a pegada ecológica, contribuir para o bem-estar dos colaboradores, apoiar as comunidades e promover a inovação e a modernização são os principais compromissos da instituição.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa apresentou esta quarta-feira, 30 de outubro, o Relatório de Sustentabilidade de 2018.

A sustentabilidade é uma das prioridades da instituição e tem, sobretudo, em vista preparar a instituição para o futuro e responder aos grandes desafios ambientais, sociais e económicos.

Na sua intervenção, o provedor da Santa Casa, Edmundo Martinho, sublinhou que a "questão da sustentabilidade não é uma questão nova e felizmente que, ao longo do tempo, tem vindo a ganhar uma dimensão diferente daquela com que nasceu. Já não apenas ambiental, essa é apenas uma dimensão que uma sociedade tem que ter".

Para Edmundo Martinho é importante ser responsável na forma como se gerem os recursos financeiros e ambientais, mas também na gestão das necessidades e expetativas das pessoas e da comunidade, assegurando condições para que a missão da Misericórdia de Lisboa se mantenha no tempo.

Na sessão de apresentação do Relatório de Sustentabilidade de 2018 foi, igualmente, inaugurada a Exposição «Sustentabilidade na Santa Casa - Construir um Futuro Melhor para Todos», que inclui 15 painéis informativos sobre os resultados das ações de sustentabilidade levadas a cabo pela instituição, no ano transato. Esta exposição estará patente ao público durante as próximas semanas.

Uma missão sustentável

Os dados do Relatório de Sustentabilidade referem-se ao período entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2018, e respeitam aos temas da ética e transparência, promoção da diversidade e da inclusão, apoio às comunidades locais, gestão do consumo de energia e das emissões de CO2 associadas, gestão de resíduos e cadeia de abastecimento sustentável.

Os números indicam, por exemplo, que em 2018 ano houve um aumento de 3% no consumo de energia em relação a 2017. Já no que se refere ao consumo de água, verificou-se um decréscimo de 10,3% em comparação com o ano anterior.

Foram investidos mais de 200 milhões de euros na Ação Social, na Saúde, na Educação, na Cultura, no Património, na Inovação, no Empreendedorismo e Economia Social, entre outras boas causas.

Já no âmbito do envolvimento com as comunidades locais, além da extensa atividade social que a instituição desenvolve todos os dias, destacaram-se atividades de responsabilidade social, como o Fundo Rainha Dona Leonor e o Fundo Recomeçar.

Em 2018, contabilizaram-se 5.173 trabalhadores na Santa Casa, sendo que 97% destes tinham contrato por prazo indeterminado. Registaram-se 98.669 horas dedicadas a formação dos colaboradores. O Seguro de Saúde foi alargado a todos os colaboradores com contrato por tempo indeterminado.

Conheça estes e outros números e abordagens interessantes presentes  no Relatório de Sustentabilidade de 2018.