Notícias


Santa Casa reforça solidez financeira em 2016

A Misericórdia de Lisboa fechou 2016 com um resultado positivo líquido de 21,1 milhões de euros. Durante o ano passado, foram distribuídos 672 milhões de euros pelos beneficiários sociais. 

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) apresentou esta quinta-feira, 4 de maio, no convento de São Pedro de Alcântara, o Relatório e Contas de 2016. As vendas brutas dos Jogos Santa Casa (JSC) foram de 2.775,2 milhões de euros, o que representa um aumento inédito em crescimento de vendas. O aumento verificado neste ano foi de 534,9 milhões de euros, mais 23,9% do que em 2015. 

O provedor, Pedro Santana Lopes, sublinhou que, apesar da multiplicidade de áreas em que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa atua e das exigências cada vez maiores com que se depara todos os dias, a instituição tem procurado "aumentar a receita, controlar a despesa e, principalmente, satisfazer as solicitações, as necessidades e anseios dos mais carenciados". 

Mais de 2,6 mil milhões de euros devolvidos à sociedade

"Em 2016, a SCML devolveu à sociedade mais de 2,6 mil milhões de euros, o que representa cerca de 97,0% das vendas brutas dos Jogos Sociais. Os resultados obtidos superaram o previsto", disse Pedro Santana Lopes, explicando que se verificou um aumento da receita dos Jogos e do Património.

O provedor manifestou a sua "preocupação" com o jogo responsável e com a salvaguarda do património das famílias, num ambiente controlado e seguro. Lembrou, ainda, os investimentos na renovação e alargamento da rede de mediadores, o sucesso do Placard, o lançamento do M1lhão e a renovação dos jogos tradicionais.

"A Santa Casa não se senta, não repousa sobre a solidez e robustez financeira das contas apresentadas", garantiu, uma vez que "trabalhamos na preparação do futuro dos Jogos Socais e das áreas da Ação Social e da Saúde".

O provedor explicou, ainda, as reformas que a instituição está a fazer nas áreas da Saúde, Ação Social, Recursos Humanos, Património, Jogos, Investigação e no âmbito do Fundo Rainha D. Leonor.

"As contas são sólidas e robustas, o resultado líquido é muito bom. Mas temos a noção que é nos tempos em que as contas são mais sorridentes que se devem preparar os tempos em que, porventura, isso não aconteça", destacou.

A Misericórdia de Lisboa apresentou resultados líquidos de 21,1 milhões de euros em 2016. A Raspadinha é cada vez mais o jogo preferido dos portugueses. O Estado recebeu, no ano passado, cerca de 183 milhões de euros em Imposto do Selo e o Placard já representa quase 14% das vendas totais dos Jogos.

Os beneficiários dos Jogos Sociais do Estado receberam, assim, o valor mais elevado de sempre, tendo sido distribuídos 672 milhões de euros por várias entidades nacionais, incluindo ministérios, agências governamentais, direções regionais, além da Misericórdia de Lisboa. 

Dos vários beneficiários sociais, destacam-se o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e o Ministério da Saúde, com 34,5% e 16,4%, respetivamente. A Misericórdia de Lisboa é um dos principais beneficiários, com 27,76 % dos resultados dos Jogos Sociais o que, em 2016, representou cerca de 200 milhões de euros, um acréscimo de 13,4% relativamente a 2015. 

Com o resultado positivo líquido de 21,1 milhões de euros de 2016, a Misericórdia de Lisboa conseguiu mais 15,3 milhões de euros do que no ano anterior, superando, em 30 milhões de euros, o previsto em orçamento. 

No que se refere à distribuição da despesa total, a Ação Social representa a maior fatia (111 milhões de euros, ou seja 55,7%), seguindo-se a Saúde, com 50 milhões (25,2%). 

Apesar do aumento em subsídios, bolsas e apoios financeiros e dos encargos com a gestão de equipamentos, transferidos pelo Estado, as despesas correntes da Ação Social aumentaram 0,9% face a 2015, um sinal claro do esforço de contenção e gestão rigorosa dos recursos disponíveis. No que se refere à Saúde, o acréscimo das despesas correntes foi de 1,2%.

Consulte: Relatório de Gestão e Contas 2016 | Relatório e Contas 2016 Jogos Santa Casa.


4 de maio de 2017