Notícias


Trabalhar em colaboração para melhores resultados

05 Junho 2019
A sede da Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica acolheu o 2º Encontro de Proximidade Colaborativa, promovido pela Unidade do Desenvolvimento e Intervenção de Proximidade (UDIP) Luz, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O encontro organizado pela UDIP Luz (que abrange na cidade de Lisboa as freguesias de Benfica, Carnide e São Domingos de Benfica), teve como principal objetivo a partilha de conhecimentos entre todos, sedimentando as relações de proximidade entre os vários agentes que compõem a coroa norte da cidade de Lisboa.

A sessão de abertura teve a participação do administrador da Ação Social da Santa Casa, Sérgio Cintra, do presidente da Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica, António Cardoso, e da diretora da UDIP Luz, Joana Andrade.

Na plateia estavam representantes de vários parceiros da instituição no terreno, como a Polícia de Segurança Pública (PSP), a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, a presidente da junta de Freguesia de Benfica, Inês Drummond, entre outros, bem como diversos técnicos de diversas áreas da UDIP Luz.

Sérgio Cintra lembrou que as instituições "devem ser a voz das pessoas e que esta partilha de saberes é essencial para conhecer as verdadeiras preocupações das pessoas de maneira a atuar em conformidade com o que é efetivamente necessário".

"A Misericórdia não pode ser vista como uma organização autossuficiente, nós somos uma, por ventura, a mais importante instituição de ação social, na cidade de Lisboa, no entanto só trabalhando em conjunto, como por exemplo as associações de moradores, é que chegamos verdadeiramente às pessoas", frisou o administrador.

Sérgio Cintra, alertou ainda para a necessidade da intervenção intercomunitária, realçando que "só em conjunto é que é possível avaliar para conseguir uma identificação clara dos problemas, para posteriormente em conjunto criar projetos, métodos e formas de agir para melhorar a vida das pessoas".

O administrador lembrou ainda aos presentes o projeto "Lisboa, Cidade de todas as Idades" que a Misericórdia de Lisboa tem vindo a desenvolver com a Administração Regional de Saúde, a PSP, a Segurança Social e com a Câmara Municipal de Lisboa, como um bom exemplo de como todos os envolvidos nestas problemáticas devem "partilhar conhecimento e dados" que permitam melhorar as respostas que se dá à população.

Joana Andrade, diretora da UDIP Luz, explicou que o principal objetivo do segundo encontro colaborativo "é ter os técnicos que trabalham na UDIP Luz a partilharem ideias e a debater questões com outros técnicos que diariamente trabalham no terreno e que pertencem a outras instituições e organizações".

A diretora destacou que as respostas "devem ser enquadradas ao tempo das mesmas", dando como exemplo as questões da habitação. "Temos tido várias pessoas que nos procuram porque não conseguem pagar a renda. Desde a crise que assolou Portugal há uns anos atrás temos reparado que pessoas que anteriormente tinham alguma qualidade financeira têm visto a sua renda aumentar para cerca de 80% do seu rendimento familiar".

O resto do dia foi dedicado à discussão das problemáticas identificadas nestas três freguesias: os desafios da habitação, a articulação do social e a saúde e as questões da mediação de conflitos.
À margem do encontro foi plantada uma alfarrobeira de maneira a simbolizar a proximidade colaborativa entre as várias freguesias e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.