espaço
Testemunhos
Pedro Santana Lopes, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
Há incidentes que mudam a vida de um momento para o outro, nomeadamente os acidentes. Alguns dificilmente podem ser evitados mas acredito que outros, tais como os que decorrem de mergulhos mal calculados, podem ser acautelados, através da sensibilização da população para os seus riscos.

Foi com esse propósito que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa criou e lançou, há já cinco anos, e em parceria com a Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia, a campanha “Mergulho Seguro”. 

Através desta campanha, pretendemos, afincada e consecutivamente, alertar os mais e os menos jovens para as consequências físicas e traumatizantes que podem advir de mergulhos mal planeados, particularmente para as lesões vertebromedulares irreversíveis, realidade com a qual a nossa instituição se confronta diariamente no Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão. 

Temo-nos empenhado profundamente nesta temática, apostando não apenas nas etapas de sensibilização, prevenção e reabilitação, mas também promovendo e desafiando a comunidade científica à descoberta das melhores soluções e, até, da cura para este tipo de patologia. O Prémio Melo e Castro, integrado nos Prémios Santa Casa Neurociências, é disso exemplo. Observar a realidade, precaver e não menosprezar a sua natural imprevisibilidade, porque convivemos diariamente com ela, é o que nos permite seguir em frente e procurar encontrar novas soluções para os problemas. 

Trabalhamos para deixar marca, para atingir objetivos, para ver resultados. Neste caso, não há nada melhor do que os ver refletidos em ‘mergulhos seguros’.