SCML
espaço
Perguntas Frequentes
  • Como e onde posso fazer inscrição para Creche, Jardim-de-infância ou Creche Familiar?
    Os pedidos de inscrição para as Creches, Creches familiares ou Jardins de Infância da SCML devem ser apresentados pelas famílias no próprio equipamento ou no serviço de Atendimento Social da sua área de residência. As inscrições decorrem durante todo o ano.

    Os critérios de admissão são, por ordem de prioridade, os seguintes:
    • Crianças em situação de perigo, de acordo com o disposto no artigo 3.º do anexo à Lei n.º147/99, de 1 de Setembro, que aprovou a Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo;
    • Agregado familiar residente na zona de influência da Creche com precariedade socioeconómica;
    • Criança a frequentar Lar ou Acolhimento Familiar da SCML (critério exclusivo para Jardim de Infância);
    • Agregado familiar residente na zona de influência da Creche, em situação de precariedade socioeconómica, com indisponibilidade para assegurar o cuidado das crianças durante o período laboral;
    • Crianças com Necessidades Educativas Especiais (NEE) de carácter permanente, de acordo com o artigo 19.º do Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de Janeiro;
    • Irmão a frequentar o mesmo Estabelecimento;
    • Agregado familiar residente em Lisboa*, em situação de precariedade socioeconómica, e a trabalhar na zona de influência da Creche;
    • Transferência de outra Creche/ Jardim de Infância da SCML e/ou transição de Creche ou Creche Familiar.
    *Apenas não aplicável aos Estabelecimentos de Infância integrados do ISS, IP, por Acordo de Gestão,  situados fora do Concelho de Lisboa:

    Instituto da Sagrada Família - São Domingos de Rana - o âmbito de atuação corresponde à população residente e/ou que trabalhe nas freguesias do Concelho de Cascais: Parede, Carcavelos, S. Domingos de Rana.

    Centro Infantil da Parede - Parede - o âmbito de atuação corresponde à população residente e/ou que trabalhe nas freguesias do Concelho de Cascais: Parede, Carcavelos, S. Domingos de Rana, S. Pedro do Estoril, S. João do Estoril, Estoril e Cascais.

    Centro Infantil de Odivelas - Odivelas - o âmbito de atuação corresponde à população residente e/ou que trabalhe nas freguesias do Concelho de Odivelas: Odivelas, Famões, Olival Basto, Póvoa de Sto. Adrião, Caneças.

    Para mais informações, consulte:


  • Como e onde posso fazer inscrição para Lar de Idosos?
    A inscrição na valência de Lar de Idosos da SCML é feita através do serviço de Atendimento Social da sua área de residência.

    As prioridades para o acolhimento em lar de idosos, com preferência para os utentes que reúnam o máximo de requisitos, são:
    • Ser idoso tutelado pela SCML
    • Ter idade igual ou superior a 65 anos
    • Encontrar-se numa situação de isolamento por razões de inexistência de família ou de rutura/desajustamento familiar grave
    • Encontrar-se numa situação de incapacidade física ou psíquica
    • Insuficiência de recursos materiais e financeiros
    • Não existir a possibilidade de ser dado outro tipo de resposta alternativa para a situação concreta do utente, nomeadamente, apoio domiciliário
    • Não sofrer de anomalia psíquica grave ou profunda que prejudique o regular funcionamento do estabelecimento e o convívio com todos os utentes, apresentando, para o efeito, o respetivo atestado médico.
  • Como e onde posso fazer inscrição para Centro de Dia?
    Para inscrever-se nos centros de dia da SCML, deverá dirigir-se ao Centro de Dia ou ao serviço de Atendimento Social da sua área de residência. Os centros de dia destinam-se preferencialmente a pessoas com mais de 65 anos, ou com idade inferior que se encontrem em situação de isolamento.

    Proporcionam aos seus utentes serviços (refeições, lavandaria, lazer, etc.), bem como atividades de carácter recreativo, cultural e artístico (grupos corais, passeios e visitas culturais, ações de esclarecimento e formação, entre outras), de forma a proporcionar uma convivência saudável e participativa, de acordo com os interesses e aptidões de cada um.

  • Como e onde posso fazer inscrição para Apoio Domiciliário?
    Para inscrição no Apoio Domiciliário da SCML deverá dirigir-se ao serviço de Atendimento Social da sua área de residência.

    A admissão na valência de apoio domiciliário é feita de acordo com os seguintes critérios:
    • Pessoas que se encontrem numa situação de incapacidade física e/ou psíquica a necessitar de apoio para a satisfação das suas necessidades básicas e/ou das atividades da vida diária
    • Inexistência ou insuficiência de apoio familiar, rutura e/ou desajustamento familiar.
  • Tenho um problema de natureza social e económico e preciso de ajuda/informação/orientação.
    Para ajuda, informação ou orientação de problemas de natureza social e/ou económico deverá dirigir-se ao serviço de Atendimento Social correspondente à sua área de residência e marcar uma entrevista.
  • Como posso ser ama de uma creche familiar da SCML?
    Os candidatos ao exercício da atividade de ama de uma creche familiar da SCML podem inscrever-se junto da creche familiar da sua área de residência ou dirigir-se à Direção de Recursos Humanos da SCML (Largo Trindade Coelho, 1200-470 Lisboa).

    Para mais informações, consulte:

  • Onde posso inscrever-me nos Cursos de Formação Profissional da Santa Casa?
    Os interessados em obter orientação para, posteriormente, frequentar cursos de educação e formação de jovens (a partir de 15 anos) ou de adultos devem inscrever-se presencialmente ou através de uma pré-inscrição no Front-Office do CEFC - Centro de Educação, Formação e Certificação (Polo de Adultos) ou no CEFC - Centro de Educação, Formação e Certificação - Centro Multicultural (Polo de Jovens):

    Horário de Atendimento:
    • Atendimento no CEFC - Polo de Adultos: 2ª e 5ª feira, 09:00h-12:00h, 14-16.30h e 2ª feira18:00h-20:30h
      CENTRO DE EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO
      Rua Conde de Ficalho, n.º 4ª e 4B, 1700-114 Lisboa
      Tel. 218 413 010 / cefc@scml.pt
    • Atendimento no CEFC - Polo de Jovens: 2ª feira, 09:00h-12:00h; 5ª feira14:00h-17:00h
      CENTRO DE EDUCAÇÃO, FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO - CM
      Rua Vasco Botelho Amaral, Lote 1 e 2 (Lojas), 1500-616 Lisboa
      Tel. 217 721 020 / cefc@scml.pt
  • Onde posso fazer o processo de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências?
    Para fazer o processo de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências na SCML, deve inscrever-se no Front Office - Atendimento no CEFC – Polo de Adultos: 2ª e 5ª feira, 09:00h-12:00h, 14-16.30h e 2ª feira18:00h-20:30h, Rua Conde de Ficalho, n.º 4ª e 4B, 1700-114 Lisboa

    Tel. 218 413 010 / cefc@scml.pt

  • Como posso saber se a Santa Casa tem casas para arrendar e quais os procedimentos?
    Contactar a Unidade de Benemerências e Activos
    Tel.: 213 235 860
    E-mailarrendamentos@scml.pt
  • Quais são os procedimentos para entregar um donativo em dinheiro?
    1. O interessado pode dirigir-se diretamente à Tesouraria da SCML (Largo Trindade Coelho), entregando  a quantia pretendida, em cheque ou numerário, sendo-lhe emitido o respetivo recibo, pela Direção Financeira.
    2. Se pretender entregar um donativo em cheque ou vale postal, deverá remete-lo em carta dirigida  à Tesouraria da SCML, recebendo na volta do correio o respetivo recibo.
    3. Quando o interessado desejar que o seu ato de doação seja anónimo, poderá dirigir-se, também, a um balcão da CGD e fazer o respetivo depósito ou transferência bancária para a conta da SCML com o NIB 0035.0697.0000.5993903.07 da Rua do Ouro em Lisboa.
  • Quais são os procedimentos para Doação de Imóveis?
    O interessado envia uma carta ou e-mail (patrimonio@scml.pt) ao Departamento de Gestão Imobiliária e Património, demonstrando interesse na doação e identificando o imóvel, titulares da propriedade e a eventual existência de ónus ou encargos. A isto junta cópia da caderneta, certidão da conservatória e licença de utilização respetiva.

    Após o envio destes documentos, será feita uma avaliação ao imóvel, para efeitos de tomada de decisão, que será posteriormente comunicada ao proponente.
  • Sou arrendatário/a da SCML e gostaria de alterar o modo de pagamento da renda para Sistema de Débitos Directos (SDD). Qual é o procedimento adequado?
    Poderá contactar a Unidade de Benemerências e Activos (Tel. 213 235 239 ou e-mail: arrendamentos@scml.pt), ou activar a sua Autorização de Débito em Conta (ADC) em qualquer caixa multibanco ou junto do seu Banco (não tem qualquer custo associado), cujos dados constam dos recibos enviados mensalmente.
  • Quais são os procedimentos para doar roupas, eletrodomésticos, móveis e outros bens?
    Deverá ser contatada a Unidade de Benemerências da Direção de Gestão Patrimonial (DIGP), através dos seguintes contatos: telefone 213 235 281/ 213 235 531,  ou e-mail: patrimonio@scml.pt, para uma melhor identificação dos bens em causa, e para obter a informação relativa à sua eventual aceitação e local de entrega.
  • A fração da SCML, da qual sou arrendatário/a apresenta alguns problemas que requerem intervenção urgente. O que devo fazer?
    Deverá contactar a Unidade de Benemerências e Activos (Tel. 213 235 239 e e-mail: patrimonio@scml.pt; Largo Trindade Coelho, 1200-470 Lisboa), descrevendo a situação por escrito (e-mail ou carta), para que os Serviços possam adoptar as medidas adequadas ao problema.
  • A Santa Casa tem Unidades de Saúde distribuídas pela cidade de Lisboa? A qual me devo dirigir?
    A Santa Casa integra uma rede de 6 Unidades de Saúde localizadas nos bairros da Ajuda/Alcântara, Armador, Boavista, Castelo, Marvila e Padre Cruz, da cidade de Lisboa. Poderá dirigir-se a qualquer uma delas, devendo, preferencialmente, deslocar-se à unidade da sua zona de residência. 
  • Que valências e especialidades existem nas Unidades de Saúde da Santa Casa e a quem se destinam?
    Todas as Unidades de Saúde da Santa Casa têm como valências-base a Materno-Infantil (que inclui Saúde Materna, Saúde Infantil e Juvenil, e Planeamento Familiar) e Saúde Adulto/Idoso. São ainda disponibilizadas as especialidades de Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Estomatologia e Psiquiatria.

    Os cuidados de saúde poderão ser prestados a pessoas residentes na cidade de Lisboa, a trabalhadores, reformados e seus familiares e a utentes de equipamentos sociais da Santa Casa, que, para o efeito, deverão possuir o Cartão de Saúde da SCML. O cartão poderá ser solicitado na Unidade de Saúde da sua área de residência.
  • Como funciona o Apoio Domiciliário a idosos da Santa Casa? Também têm médico?
    No âmbito da Saúde, o Apoio Domiciliário é prestado pelos profissionais de Saúde da SCML. Dele fazem parte, designadamente, os médicos que se deslocam aos lares de idosos e a outros equipamentos sociais da SCML, de acordo com as necessidades transmitidas pelos responsáveis daqueles equipamentos às Unidades de Saúde.
    O Apoio Domiciliário Médico e de Enfermagem é também disponibilizado a utentes inscritos nas Unidades de Saúde que o solicitem.
  • Como posso ajudar quem precisa e em que ações posso participar?
    Se tem gosto e disponibilidade para exercer voluntariado com regularidade e de forma responsável e tem preferência pelas pessoas com mais de 65 anos, então pode candidatar-se a fazer companhia:
    • No domicílio, nos diversos serviços de Apoio Domiciliário ou no Programa Mais Voluntariado Menos Solidão
    • Nos Lares 
    - Se tem competências na Área das Atividades Corporais e Movimento ou das Artes
    • Pode apoiar atividades como o teatro, dança, reiki, yoga, ginástica, etc. e equipamentos de jovens e crianças e idosos
    - Se as crianças/jovens são a sua área de interesse então pode:
    • Apoiar no estudo
    • Apoiar os profissionais nas atividades desenvolvidas no âmbito dos Serviços (lares, estabelecimentos de infância, etc.)
    - Se as suas preferências vão para a área da saúde pode:
    • Apoiar os doentes em ambulatório nos Hospitais e Centros de Saúde
    • Apoiar os doentes internados nos Hospitais (HOSA e CMRA)
    - Se o seu interesse é a cultura então pode apoiar nas atividades:
    • Do Museu de S. Roque
    • Do Arquivo Histórico
    • Da Biblioteca
    Para mais informações sobre as atividades onde é possível exercer a actividade voluntária na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, aceda à área do site dedicada ao Voluntariado.
  • Precisam dos meus serviços como voluntário(a)?
    Todas as colaborações são bem-vindas, sendo necessário confirmar se a disponibilidade, motivações e perfil do(a) candidato(a) se enquadram às necessidades da instituição.
  • Para onde devo enviar a minha ficha de inscrição? E como se processa?
    Para se candidatar a voluntário da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa deve preencher e enviar a ficha de inscrição.

    Depois de efetuar a sua inscrição, as fases seguintes são:
    • Entrevista de seleção
    • Formação inicial
    • Enquadramento
  • Tenho de esperar muito tempo até ser admitido(a) como voluntário(a)?
    O tempo de espera será o mínimo necessário às diligências necessárias à conciliação das disponibilidades do(a) voluntário(a) com as necessidades da instituição.
  • BIS - Banco de Inovação Social - O que é o BIS?
    O BIS - Banco de Inovação Social tem como sua missão o seguinte:
    • A promoção e o incentivo da inovação com finalidades sociais, como motor do desenvolvimento económico e social da sociedade portuguesa.
    • O apoio estruturado e estruturante de um empreendedorismo com valor social.
    • A criação de mecanismos financeiros que permitam que as iniciativas e projetos de grande valor e impacto social adquiram a sustentabilidade necessária.
    • O apoio à experimentação social com base científica e de aplicação prática, contribuindo desta forma para o estado da arte neste domínio.
    • A participação nas iniciativas e redes da União Europeia em matéria de Inovação Social, por forma a adquirir e a partilhar conhecimento e experiência neste âmbito.
    • A promoção de uma cultura de inovação social, apelando à participação e implicação da sociedade civil numa cultura de inovação social e de empreendedorismo com valor social.
    • A promoção de dinâmicas de participação da sociedade civil, apelando a um envolvimento nas iniciativas do âmbito do BIS, por intermédio, designadamente, da realização de voluntariado de competências.
    Para a prossecução da sua missão, o BIS - Banco da Inovação Social desenvolverá, entre outras as seguintes ações e instrumentos:
    1. O Programa de Empreendedorismo Social, para apoiar negócios de valor social para a comunidade e para os seus promotores.
    2. O Programa de Apoio à Inovação Social mediante o qual se promove, de uma forma sistemática e organizada, a experimentação social de base científica e aplicação prática.
    3. O Programa de Promoção de uma Cultura de Inovação Social, em especial entre as camadas mais jovens da população.
    4. O Fundo de Investimento Social, Fundo BIS, prioritariamente orientado para investir em projetos e iniciativas de inovação social.
    5. A Bolsa de Tutores BIS, com o objetivo de apoiar os promotores de empreendedorismo e/ou de inovação social, desenvolvidos no âmbito das alíneas anteriores.
  • O que é o Programa de Empreendedorismo Social
    Um dos objetivos estratégicos do BIS é a promoção de um empreendedorismo socialmente inovador, economicamente sustentável e cujas soluções a um leque amplo de problemas – sociais, culturais, económicos e ambientais tenham um impacto social considerável.

    Na sequência deste objetivo estratégico, o BIS - Banco de Inovação Social desenvolveu um Programa cujo modelo assenta em dois eixos diferentes:

    O apoio ao empreendedorismo socialmente inovador, economicamente sustentável, e cujas soluções possuam um impacto social relevante e ampliem o atual perímetro de soluções que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e os seus parceiros do BIS proporcionam à Comunidade. Trata-se de um modelo que assenta na promoção da inovação social aberta, que nasce na sociedade entre os agentes sociais mediante iniciativas que pretendem dar uma resposta aos problemas sociais das Comunidades. O objetivo do Programa é captar essas iniciativas, validar o seu modelo de negócio a fim de que possa ser replicado e adquirir a escala necessária à sua sustentabilidade económica e à criação de valor social na Comunidade.

    Por outro lado, o DEES considerou que não deve abandonar o apoio prestado no passado a iniciativas ou projetos que, muito embora não possuam o potencial ou a dimensão para oferecer uma solução global a determinados problemas sociais da Comunidade, constituem porém uma solução ou uma saída válidas para pessoas que se encontram no desemprego. Neste sentido, o Programa possui um eixo de empreendedorismo inclusivo, prioritariamente orientado para o apoio a projetos que provêm ao autoemprego dos seus promotores ou de um número limitado de pessoas associadas a eles. 

    Com este Programa, o DEES propõe-se:
    1. Apoiar os negócios sociais capazes de oferecer uma solução inovadora e sustentável a umas determinadas necessidades sociais previamente identificadas pela SCML e por ela consideradas prioritárias que possuam um impacto social relevante na Comunidade e
    2. Apoiar negócios promovidos por pessoas desempregadas, em especial jovens desempregados ou à procura do primeiro emprego.
    O Programa está desenvolvido com base num Regulamento que prevê todas as fases do mesmo (dois eixos) assim como todos os aspetos relevantes: beneficiários, parceiros, critérios, formas de apoio e desenvolvimento, etc. Para além disso, toda a comunicação com os empreendedores e projetos é efetuado através da Plataforma e os projetos são apresentados mediante formulários on-line. É igualmente disponibilizada na Plataforma um conjunto de informação de suporte à apresentação dos projetos, realização de um plano de negócios, instrumentos financeiros de apoio, etc.
  • Como e quando posso candidatar-me ao Programa de Empreendedorismo Social?
    O BIS - Banco de Inovação Social promoveu durante o mês de abril de 2013 um Fórum de Ideias, onde a sociedade civil e o público em geral puderam apresentar e discutir ideias para projetos sociais, tendo finalizado com uma participação muito significativa e com excelentes ideias.
    A primeira convocatória para apresentação de candidaturas do Programa de Apoio ao Empreendedorismo Social abriu no dia 1 de maio e prolongou-se até dia 31 de maio, nas seguintes áreas de intervenção:
    • Eixo Inclusivo, micronegócios, projetos ou negócios apresentados por pessoas singulares em situação de desemprego, emprego precário ou à procura do primeiro emprego. Estes projetos previram a criação do emprego do seu (sua) promotor(a).
    • Eixo Exclusivo, negócios sociais de pessoa singular ou de pessoa coletiva, negócios que apresentam uma resposta inovadora a uma das quatro necessidades sociais identificadas como prioritárias pela presente convocatória do Programa de Apoio ao Empreendedorismo BIS:
      • A criação de emprego: Negócios sociais que tenham como finalidade dar uma resposta inovadora e sustentável à criação de emprego.
      • A promoção do envelhecimento ativo: Negócios sociais que ofereçam uma resposta inovadora e sustentável à promoção de um envelhecimento mais ativo.
      • O combate ao desperdício: Negócios sociais que deem uma resposta inovadora e sustentável ao combate a qualquer forma de desperdício existente na sociedade.
      • O combate ao abandono escolar: Negócios sociais que ofereçam uma resposta inovadora e sustentável à prevenção ou combate ao abandono escolar.
    Durante o mês de junho foram avaliadas 764 candidaturas, e conforme uma rigorosa avaliação de critérios, foram selecionadas 32 candidaturas a projetos considerados socialmente inovadores.

    Consulte aqui os projetos selecionados e em curso: http://bancodeinovacaosocial.pt/projetos

    A partir do mês de julho, os promotores/empreendedores que apresentaram estes projetos começam uma nova fase das suas vidas, começando por receber apoios, formação e capacitação em várias áreas técnicas para implementação do seu próprio negócio.

    Os apoios podem ser de diferente natureza e terão em conta as necessidades de cada projeto, em termos genéricos, estes podem ser:

    Apoio técnico - necessidade de formação específica do promotor(a), elaboração do Plano de Negócios, desenho da estratégia de marketing, de vendas, entre outros.

    Apoio financeiro - elaboração do Plano financeiro, Plano de contabilidade, facilitação do acesso e encaminhamento para o crédito, nomeadamente o microcrédito.

    Apoio jurídico - assessoria jurídica.

    Apoio logístico - facilitação de local para o negócio, plataforma de "matching", instalações e serviços de incubação do negócio.

    Durante toda a fase de desenvolvimento do projeto, será indicado um Tutor de Proximidade, um profissional escolhido entre a Bolsa de Voluntários BIS, que velará, junto com a equipa do BIS, para que o empreendedor/promotor disponha e possa contar com esse apoio.


    Consulte aqui o Cronograma/Fases do Programa de Apoio ao Empreendedorismo Social de 2013:


    O 2º (Segundo) Programa de Apoio ao Empreendedorismo Social do BIS - Banco de Inovação Social, terá início no segundo semestre de 2014, salvo indicações em contrário.
  • O que é o Programa de Apoio à Inovação Social?
    O Programa de Apoio à Inovação Social constitui-se como o instrumento operacional que concretiza a missão e atuação do BIS enquanto plataforma aberta, flexível e dinâmica que agrega as competências e recursos de diferentes entidades no desenvolvimento de ações concretas e efetivas de promoção da inovação social no nosso país. 

    Este Programa tem como objetivo estimular e facilitar a criação, a experimentação, a sustentabilidade e a disseminação de soluções inovadoras para os problemas e necessidades sociais.

    A inovação social preconizada pelo BIS diz respeito ao desenvolvimento de novas soluções que são mais eficazes, eficientes e sustentáveis que as soluções tradicionais, envolvendo os vários setores da sociedade e a participação ativa dos cidadãos na configuração de respostas às necessidades sociais. 

    Estas soluções podem ser novos produtos, serviços, atividades, modelos de organização e processos diferentes de resolver os problemas mas também a reaplicação de soluções já existentes ou a transferência dessas soluções para um outro setor da sociedade. 

    São vários os exemplos de inovação social que permitem responder a problemas como o abandono escolar, o envelhecimento da população, as alterações climáticas ou as desigualdades sociais: ensino à distância, universidade sénior, telemedicina, microcrédito, comércio justo, wikipedia, orçamento participativo. 

    As ações a desenvolver no âmbito do Programa abrangem várias fases e momentos do processo de inovação social em conformidade com os estudos e recomendações internacionais e, em particular, da Comissão Europeia.

    Serão desenvolvidas iniciativas destinadas a estimular a criatividade, a co-criação e a participação ativa dos cidadãos no processo de inovação social, nomeadamente através da constituição de um Banco de Ideias ou plataforma digital aberta que permita o registo e a co-criação de ideias inovadoras e a capacitação dos participantes e um Concurso de ideias socialmente inovadoras que facilite a prototipagem e a experimentação de produtos/serviços e o desenvolvimento de projetos de empreendedorismo social. 

    Serão igualmente desenvolvidas iniciativas para apoiar a implementação e a sustentabilidade de novos projetos e de projetos que já se encontram em execução e que conduzam a negócios, produtos e serviços inovadores e com impacto social, através, entre outros, do Fundo BIS.

    A constituição de uma rede nacional de inovação social e a integração nas redes internacionais de partilha e disseminação de boas práticas será realizada através da criação de Polos de Inovação Social BIS a nível nacional que agreguem entidades e organizações locais e/ou regionais, da organização de eventos, encontros, seminários ou da web (webinars, dialogue café) e da participação nos Programas da União Europeia. 

    O apoio efetivo à inovação social exige ainda a criação de um espaço único no nosso país, aberto aos diferentes setores da sociedade e onde as ideias podem ser pensadas, experimentadas e transformadas em soluções inovadoras com valor prático, permitindo também a incubação de projetos de empreendedorismo, negócios sociais e empresas inovadoras – um Centro de Experimentação e Inovação Social.
  • O que é o Programa de Promoção de uma Cultura de Inovação Social?
    Para levar a cabo a sua missão de Promoção de uma Cultura de Inovação Social, o BIS, parte da convicção que, cada pessoa pode ser agente promotor de mudança social, com capacidade para transformar a sociedade. Deste modo, desenvolveu o Programa de Promoção de uma Cultura de Inovação Social para fomentar e concretizar a cidadania ativa, esperando ser um contributo relevante para a mudança de mentalidade necessária em direção à promoção da participação, da iniciativa, da apetência pelo risco, da criatividade e da responsabilidade social. Este programa dirige-se aos mais jovens e está inserido no domínio educacional privilegiando como campo de ação o espaço escolar. Tem como principal objetivo: 1) enfatizar o papel da inovação social como ferramenta de crescimento inteligente, sustentável e inclusivo; 2) estimular a exploração e a criatividade na identificação, análise e resolução de problemas sociais e, 3) incentivar à participação dos mais jovens na geração de ideias inovadoras para os problemas societais.

    Em concreto, a escola é convidada a participar num concurso em que o conceito de inovação social é introduzido de forma a incentivar os alunos a refletir em soluções para problemas que os próprios identificam na escola, bairro, vizinhança, etc. Para apoiar este processo de identificação do problema, de criatividade e de estruturação da ideia são criados materiais específicos - Kit inovador social - que serve de inspiração e guia para os agentes educativos ao longo do processo. As ideias são alvo de análise por um júri e as melhores são premiadas com a possibilidade do seu desenvolvimento.
  • O que é o Fundo BIS - Fundo de Investimento Social?
    O Fundo de Investimento Social, denominado "Fundo BIS" é uma iniciativa que associa a missão, os valores e a experiência de intervenção social da SCML à capacidade técnica e financeira das entidades bancárias no apoio ao empreendedorismo e no desenvolvimento da inovação social no nosso país.

    Será igualmente um instrumento poderoso para o exercício da responsabilidade social com a garantia de um investimento em Boas Causas, como são a promoção do emprego, o envelhecimento ativo, a prevenção do abandono escolar ou o combate ao desperdício.

    O Fundo BIS está aberto a todas as entidades bancárias ou financeiras que subscrevam o Acordo de Colaboração que institui o Banco de Inovação Social BIS e que manifestem o interesse e a vontade de contribuir para o Fundo no respeito das suas finalidades e âmbitos de intervenção.

    As contribuições financeiras que compõem o Fundo BIS serão aplicadas para o cumprimento das seguintes finalidades:
    • Investimento em negócios sociais que contribuam, pelo seu caráter inovador e impacto social para uma melhor resolução das necessidades sociais consideradas prioritárias no âmbito das convocatórias anuais para a apresentação de projetos do Programa de Apoio ao Empreendedorismo;
    • Constituição de garantias bancárias ou outra forma de garantia ou seguro de crédito que facilite o acesso ao crédito ou ao microcrédito por parte de projetos selecionados para este efeito;
    • Doação a projetos de empreendedorismo selecionados no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo do BIS cujo objeto e finalidade contribuam de forma destacada para as finalidades do Programa.
  • Como posso investir num projeto de um dos programas do BIS?
    Os projetos que estão a ser apoiados pelo Banco de Inovação Social poderão receber donativos ou investimento por parte de empresas privadas ou publicas ou de particulares. Para tal, quando tais projetos estiverem em fase de incubação - etapa em que o negócio começa a dar os primeiros passos prevista para Novembro de 2014, será disponibilizado no website do Banco de Inovação Social um sistema de transferência monetária com o objetivo de permitir uma ajuda financeira direcionada ao projeto com o qual mais se identifica. Após a doação ou o investimento no projeto apoiado pelo BIS, o doador/investidor será informado periodicamente do processo de evolução do negócio, através de neswsletter e de um sistema de reporte financeiro.
  • Como posso beneficiar de um microcrédito para um projeto pessoal?
    O Banco de Inovação Social, não sendo uma instituição financeira propriamente dita, não pode financiar diretamente nenhum negócio. No entanto, o BIS tem como parceiros o Montepio Geral e outras entidades que encaminham e apoiam a obtenção de microcrédito. 

    Para projetos apoiados pelo BIS, será feita uma análise casuística com o objetivo de encontrar a melhor alternativa para a viabilidade financeira do negócio.
    Para projetos não apoiados pelo BIS, sugerimos que se dirija a um dos nossos parceiros para estudar a possibilidade da contração de um microcrédito. Os contactos são os seguintes:

    MONTEPIO GERAL

    ANDC (Associação Nacional de Direito ao Crédito)
    Praça José Fontana 4, 5º andar
    1050-129 LISBOA
    Tel.: 21 315 6200

    IAPMEI, I.P. – Agência para a Competitividade e Inovação
    Estrada do Paço do Lumiar, Campus do Lumiar - Edifício A
    1649-O38 LISBOA
    Tel. 213 836 000
  • O que é o Programa de Tutores BIS?
    O Banco de Inovação Social agrega um conjunto de ativos, entre os quais ativos de conhecimento e humanos, que estão espelhados na figura do Tutor. O Tutor é um cidadão, que ao identificar-se com a missão do BIS, dedica de forma desinteressada e voluntária o seu tempo, conhecimento e competências ao desenvolvimento das ações do BIS. O Programa de Tutoria BIS está concebido para que os Tutores BIS possam prestar o seu apoio e desenvolver o seu compromisso social no quadro das iniciativas dos seguintes Programas promovidos pelo BIS: Programa de Apoio ao Empreendedorismo Social, Programa de Apoio à Inovação Social e Programa de Promoção de uma Cultura de Inovação Social.

    O programa de Tutores BIS visa estruturar a intervenção do tutor, clarificando os âmbitos de atuação e o seu papel em cada programa e/ou respetiva fase, e, apoiar a sua atividade através da criação de mecanismos de comunicação e de acompanhamento com vista ao desenvolvimento de relações tutor/tutorando eficazes. Através deste programa realizam-se ações de divulgação e angariação de tutores, de formação, de matching tutor/programa e de acompanhamento da atividade de tutor. Os tutores fazem parte de uma Bolsa de Tutores BIS, que é gerida pela equipa do BIS.

    A abertura do BIS à cidadania, visa o reforço de princípios como a solidariedade, a colaboração, o compromisso, a dedicação, a diversidade e a transferência de conhecimentos gerando oportunidades de participação dos cidadãos em benefício das pessoas e da comunidade.
  • Como e quando posso candidatar-me ao programa de Tutores BIS?
    A inscrição como Tutor BIS concretiza-se através do preenchimento de um formulário disponível no website do BIS www.bancodeinovacaosocial.pt. Após a inscrição os candidatos a tutores são convocados para uma formação e entrevista individual de presença obrigatória. A formação visa dar informação relativa ao BIS e respetivos programas e a entrevista individual tem como objetivo aferir expectativas de ambos os intervenientes (BIS e candidato), clarificar a motivação para exercício do papel de tutor, identificar o programa mais ajustado ao perfil pessoal e de competências do candidato e reafirmar o compromisso com o BIS.

    O processo de integração na Bolsa de Tutores finaliza com a assinatura do compromisso entre o tutor e o BIS. No decurso da atividade do tutor o BIS realiza ações de acompanhamento que passam pela realização de reuniões gerais de tutores (partilha de experiências e identificação de obstáculos/dificuldades e estratégias de superação das mesmas), momentos formativos essenciais ao exercício da atividade de tutor/a e disponibilização de instrumentos de comunicação ágeis com a equipa BIS.

    As candidaturas para tutor estão abertas em permanência, sendo que de imediato os tutores selecionados vão ser alocados ao programa de apoio ao empreendedorismo social para tutoria de acompanhamento do desenvolvimento do projeto aos 30 projetos selecionados pelo BIS no passado dia 28 de junho de 2013. 

    Informações adicionais sobre candidaturas para tutores através do e-mail tutores@bancodeinovacaosocial.pt.