Projeto: Desenvolvimento de uma Terapia Integrada para Lesões Vertebro-medulares utilizando Biomateriais, Células Estaminais Mesenquimatosas e Agentes Neuroprotetores

Autores: António José Braga Osório Gomes Salgado (investigador responsável), Nuno Jorge Carvalho Sousa, Nuno André Martins Silva, Eduardo Domingos Correia Gomes, Rita Catarina Assunção Ribeiro Silva, Armando Alberto da Nova Pinto de Almeida, João Filipe Pedreira de Oliveira, Marco Rafael Guimarães, Vanessa Alexandra Morais Sardinha, André Teixeira Lopes, Hugo Miguel do Vale Leite Santos de Almeida, José Miguel Gomes Moreira Pêgo, Nuno Eduardo Sevivas Sousa, João José Fernandes Cardoso Araújo Cerqueira

Instituição: Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde (ICVS), membro do Laboratório Associado ICVS/3B's, da Universidade do Minho

Descritivo: 
O projeto apresentado pela equipa parte do princípio de que ainda não existem terapias que estimulem a regeneração dos tecidos afetados após uma lesão vertebro-medular (LVM) traumática. Ao longo dos últimos 20 anos, foram propostas várias estratégias para solucionar esta questão, sendo que a maioria lidava de forma isolada com as consequências provocadas pela lesão.

O que o presente projeto vem propor é o desenvolvimento de uma terapia multidisciplinar e integrada, que foque todos os aspetos associados à degeneração do tecido nervoso e das células associadas. Esta terapia surge da combinação da utilização de agentes neuroprotetores nos estágios iniciais da lesão, para que esta não se desenvolva para os tecidos adjacentes, combinados com células estaminais adultas e matrizes biodegradáveis.

A equipa de investigação acredita que esta combinação virá a regenerar as células afetadas pela lesão. Como esperança para o tratamento das LVM, a equipa aposta, desta forma, na recuperação e reparação do tecido afetado pela lesão que, a concretizar-se, poderá resultar, a longo prazo, num ganho das capacidades motoras do paciente, assim como de outras funções afetadas pela lesão. O que, consequentemente, se irá traduzir numa melhoria da sua qualidade de vida.

Testemunho
"É com enorme satisfação que tanto eu, como a equipa que coordeno, recebemos uma distinção com o prestígio do Prémio Melo e Castro. Consideramos que é um reconhecimento simultâneo pelo trabalho que temos vindo a efetuar nesta área, assim como pelos conceitos apresentados no projeto que foi submetido. Representa, sem qualquer dúvida, um forte estímulo para o desenvolvimento futuro do nosso trabalho, com o qual esperamos vir a desenvolver novas estratégias terapêuticas que possam vir a ser utilizadas na regeneração de lesões vertebro-medulares." 

António Salgado, investigador responsável