Notícias sobre a Sustentabilidade Santa Casa
Santa Casa já tem Relatório de Sustentabilidade
Minimizar a sua pegada ecológica, contribuir para o bem-estar dos colaboradores e das comunidades e promover a inovação e a modernização são os principais compromissos da
SCML.

O primeiro Relatório de Sustentabilidade da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), referente ao ano de 2013 e elaborado de acordo com as diretrizes de Elaboração de Relatórios de Sustentabilidade da Global Reporting Initiative (GRI), na sua mais recente versão, GRI 4.0, acaba de ser divulgado. Realizado paralelamente ao Relatório de Gestão e Contas, do qual constituiu um anexo para efeitos de apresentação aos órgãos de governo da instituição, o Relatório de Sustentabilidade foi coordenado pelo Departamento da Qualidade e Inovação e é o resultado do envolvimento de toda a Santa Casa na sua elaboração, reunindo os contributos dos seus diversos departamentos e serviços.

Aposta prioritária do Provedor, Pedro Santana Lopes, e da atual administração, a sustentabilidade tem, sobretudo, em vista preparar a Santa Casa para o futuro, contribuindo para um novo posicionamento de modernidade e de proximidade no quadro da responsabilidade social que assume em Portugal e dos grandes desafios ambientais, sociais e económicos que a atual conjuntura nacional e mundial coloca.

Apesar de a instituição só ter definido a sua estratégia de sustentabilidade em janeiro de 2012, desde a sua criação, há 516anos, que se empenha para que a sua ação contribua para o bem comum e para a justiça social. O mesmo é dizer, para um desenvolvimento sustentável.

Na nota de abertura do relatório, o Provedor escreve que, do trabalho de estruturação da estratégia de sustentabilidade para o século XXI, "destacam-se, por exemplo, as apostas na melhoria da performance ambiental da instituição, na criação de novas estruturas e mecanismos de apoio aos seus colaboradores, no apoio à cultura e ao património nacionais, bem como no incentivo à investigação, e em especial à investigação científica nas áreas das lesões vertebro-medulares e das patologias de origem neurodegenerativa". 

Os principais compromissos da instituição na promoção da sua sustentabilidade são os de "minimizar a sua pegada ecológica", tendo em vista "um mundo mais amigo do ambiente"; "contribuir para o bem-estar dos colaboradores e das comunidades locais", visando "um mundo mais justo, mais solidário e mais inclusivo", bem como de "promover a inovação e modernização", no sentido de um "mundo mais inovador". 

A caminho de uma Santa Casa mais moderna e eficiente

Os dados deste primeiro Relatório de Sustentabilidade referem-se ao período entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2013, e respeitam aos temas da ética e transparência; promoção da diversidade e da inclusão, apoio às comunidades locais; gestão do consumo de energia e das emissões de CO2 associadas; gestão de resíduos e cadeia de abastecimento sustentável, os quais foram identificados pela instituição e pelas partes interessadas auscultadas como sendo os mais materiais.

Os números indicam, por exemplo, que neste ano houve um aumento de 5% no consumo de energia em relação a 2012, facto que estará, entre outras variáveis, relacionado com o incremento da atividade da instituição, e que evidencia o longo trabalho que a instituição ainda tem de realizar para melhorar a sua eficiência energética. 

Já no que se refere ao consumo de água, verificou-se um decréscimo de 2% em comparação com o ano anterior. Foi igualmente registada uma diminuição de 11% na quantidade total de resíduos produzidos face ao ano anterior. 

Em matéria de gestão de resíduos e de sensibilização ambiental, em 2013 foram distribuídos 452 ecopontos por edifícios da Santa Casa para promover a separação seletiva e a reciclagem, e 232 colaboradores participaram em ações de formação na área ambiental. 

No âmbito do envolvimento com as comunidades locais, além da extensa atividade social que a instituição desenvolve todos os dias, destacaram-se atividades de responsabilidade social, como as de proximidade com os jovens nos festivais de verão, o programa itinerante "Saúde Mais Próxima", o patrocínio da edição da obra completa de Padre António Vieira, a participação na Feira do Livro de Lisboa, a organização do espetáculo de música portuguesa em São Roque, entre outros. 

A par da valorização dos recursos humanos, para a qual contribuíram as 84 663 horas de formação frequentadas pelos colaboradores, foram promovidas várias ações de inovação e de modernização, entre as quais se contam a criação do Grupo de Missão para a Modernização Tecnológica e Administrativa da SCML, a atribuição dos Prémios Santa Casa Neurociências ou o lançamento do Banco Social de Inovação (BIS).  

Estes são alguns dos aspetos mencionados no Relatório de Sustentabilidade de 2013, que refletem já o trabalho iniciado em 2012 e a prosseguir com empenho no futuro, no sentido da evolução para uma Santa Casa da Misericórdia de Lisboa mais sustentável, moderna e responsável, envolvendo a sociedade e inovando para ultrapassar os obstáculos e melhorar a qualidade das respostas.

Aceda ao Relatório de Sustentabilidade de 2013 aqui.

31 de dezembro de 2014