Misericórdia de Lisboa e PÚBLICO lançam projeto de jornalismo comunitário

Artéria é o nome do novo projeto de jornalismo comunitário dedicado ao quotidiano da cidade de Lisboa. Produzido pelo PÚBLICO, com o apoio da Santa Casa, o Artéria está aberto a todos os que sintam a cidade como sua e tenham vontade de dar a conhecer as histórias que lhe dão vida.

A apresentação oficial da iniciativa realizou-se esta segunda-feira, 11 de julho, no Palácio de São Roque, em Lisboa, com transmissão em direto no site e nas redes sociais do jornal PÚBLICO, e contou com a presença do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Edmundo Martinho, e do diretor do PÚBLICO, Manuel Carvalho. Filipe Anacoreta Correia, vice-presidente do Município de Lisboa, esteve também presente no evento.

Após a apresentação do projeto, David Pontes, diretor-adjunto do PÚBLICO e responsável pelo pelouro dos projetos editoriais, conduziu uma conversa sobre os media locais. No número 22 do Largo Trindade Coelho, sentaram-se à mesa para debater o estado da informação local e alguns dos novos projetos que têm surgido em Lisboa, Samuel Alemão, coordenador do Artéria, Catarina Carvalho, diretora e fundadora do jornal Mensagem de Lisboa, Mário Rui André, diretor e fundador do portal comunitário Lisboa para Pessoas, e Ana Fernandes, editora da secção Local do PÚBLICO.

O momento serviu de mote para o lançamento do Artéria, projeto que conta com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e que pretende ser um novo canal para o jornalismo de comunidade, protagonizado por voluntários e estudantes de comunicação social. Coordenado pelo jornalista Samuel Alemão, o novo jornal comunitário de Lisboa já está online mas terá também uma versão impressa, que será distribuída bimestralmente com o jornal Público. Nos seus conteúdos é possível encontrar texto, fotografia, mas também podcast, ilustração ou vídeo.

No Palácio de São Roque, na sua intervenção, Edmundo Martinho defendeu que “este projeto tem tudo que ver connosco. A Santa Casa é, provavelmente, a instituição mais impregnada na vida da cidade. Esta ligação traz-lhe responsabilidades acrescidas.” O provedor sublinhou que este projeto quer promover uma maior participação dos cidadãos na esfera pública, dando “voz e expressão” a todos, e, simultaneamente, contribuir para um “melhor trabalho” da Misericórdia de Lisboa.

Este projeto levou-nos a pensar sobre o que é ser um jornal hoje”, começou por dizer Manuel Carvalho, diretor do PÚBLICO. “Com esta parceria com a Santa Casa, agarrámos esta ideia com muito entusiasmo, com muita paixão. Acreditamos que tem todos os ingredientes para resultar. Aquilo que nós queremos fazer é com que as pessoas participem, se sintam motivadas, estimuladas a colocar perante as suas comunidades os seus anseios, as suas necessidades, os seus problemas, as suas expectativas, as suas alegrias, com a nossa capacidade de fazer alguma formação e acompanhamento”, finalizou.

Apresentação do projeto Artéria

Artéria, um jornal que convida a comunidade a contar as histórias de Lisboa

O foco é Lisboa, as suas histórias, os seus projetos de vizinhança, as questões que mexem com a cidade na procura de soluções, o seu património a descobrir. Mas o Artéria é também um projeto com preocupações na literacia para os media, com condução por jornalistas profissionais e com uma programação que inclui, ainda, ações de formação nas várias técnicas do jornalismo.

Dedicada a Lisboa, a iniciativa funcionará de portas abertas a todos os que sintam a cidade como sua e tenham vontade de dar a conhecer as boas histórias que lhe dão vida. É também uma plataforma de discussão sobre os melhores caminhos para ajudar a solucionar os problemas e os desafios sentidos por quem a vive todos os dias.

Fale-nos sobre o seu bairro e da sua rua

O apelo está feito a todos os que pretendam participar voluntariosamente neste projeto, a todos os que sintam Lisboa como sua e tenham vontade de ajudar a dar a conhecer narrativas interessantes sobre a vida na cidade, mas que não tenham ainda divulgação suficiente. As atenções centrar-se-ão na rua e nos bairros. Para conseguir realizar esse retrato sempre em movimento de uma comunidade em permanente mutação, o formato favorecido será o da reportagem escrita, mas também a fotografada ou a ilustrada. Cada pessoa utilizará a linguagem com que se sente mais confortável.

Os interessados em participar deverão enviar um e-mail para arteria@publico.pt, dando conta de como pensam poder ser úteis ao projeto. Toda a informação sobre o mesmo está disponível online.

 

  • Artéria
  • Cidadania ativa
  • Jornalismo comunitário
  • PÚBLICO